26 de março de 2019

Família despejada recusa se instalar na casa abrigo

Reprodução
De O Diário - O casal despejado no último sábado (23) de um barraco que ocupava com quatro filhos menores no final da avenida Kakogawa recusou a oferta da Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc) para se instalar no abrigo provisório do município. Os dois alegam questões religiosas para rejeitarem a oferta e aguardam a Sasc atender o pedido de aluguel social. A família está morando na residência de amigos.

A reintegração de posse foi executada na tarde de sábado e imediatamente um trator derrubou o barraco ocupado pela família, o que comoveu vizinhos e pessoas da comunidade. O casal com os filhos morava há quatro anos no terreno que pertence à Associação Projeto Reviver. A ação de reintegração não foi acompanhada pela assistência social do município ou pelo Conselho Tutelar, apesar da Sasc dar assistência à família há mais de oito anos.

A Associação Projeto Reviver informou através de nota que vinha tentando a desocupação do terreno de forma amigável sem sucesso, optando em pedir a reintegração de posse pela Justiça. A entidade coloca ainda que a família recebeu a ordem judicial de desocupação no dia 16 de fevereiro passado, com prazo de 30 dias para deixar a área. Para a associação o casal tinha ciência que a reintegração poderia ser cumprida desde o dia 16 de março.