4 de abril de 2019

Cuba, Venezuela e Moçambique devem R$2,3 bi para o BNDES

© Divulgação Governos petistas fomentavam os financiamentos do banco em obras no exterior
Poder 360 - O BNDES (Banco de Desenvolvimento Econômico e Social) tem R$2,3 bilhões de dívidas atrasadas para receber de Cuba, Venezuela e Moçambique.
De acordo com o jornal Estado de S.Paulo, o risco de os países não pagarem as dívidas fez com que o banco estatal registrasse perdas de R$4,4 bilhões no balanço financeiro de 2018, divulgado na última semana. Caso os países não honrem o pagamento, a União terá de cobrir o calote.
Os empréstimos foram feitos durante as gestões petistas no Executivo. Os governos dos ex-presidentes petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff fomentaram os financiamentos do banco em obras no exterior.

Esses financiamentos do BNDES no exterior são cobertos pelo Tesouro Nacional por meio do FGE (Fundo de Garantia à Exportação). O atraso no pagamento das dívidas desses 3 países já resultou em uma indenização de R$1,3 bilhão para o BNDES. O Orçamento de 2019 estima R$1,5 bilhão de despesas do FGE.
CPI do BNDES

Em fevereiro de 2019, a Câmara dos Deputados criou uma CPI(Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar irregularidades em contratos executados entre os anos de 2003 e 2005 pelo banco brasileiro.