17 de abril de 2019

Cuidar de idosos pode ser muito desgastante. De acordo com uma pesquisa, 63% dos cuidadores morrem até quatro anos antes das pessoas cuidadas.

Com informações do G1 Globo / Reprodução: Sarandi em Dia - Uma pesquisa da Academia Nacional de Ciências, Engenharia e Medicina dos EUA mostrou que 63% dos cuidadores morrem até quatro anos antes do que as pessoas que eles estão cuidando. O Brasil tem cada vez mais idosos – já são mais de 18 milhões. Como cuidar de quem cuida dos idosos?
Um idoso pode ter autonomia, mas em algum momento irá precisar de apoio. De 2007 a 2017, o mercado de cuidadores profissionais cresceu 547%, ou seja, 30 mil novos postos de trabalho.
Cuidar de uma pessoa idosa ou doente exige dedicação, paciência e força física. Os cuidadores profissionais fazem cursos e se especializam, mas dominar a técnica não é suficiente. Afeto, carinho e respeito fazem a diferença na qualidade de vida.

Por isso, às vezes o cuidador acaba sendo um parente, um vizinho, um amigo. Devido ao esforço e tempo demandado, esses cuidadores costumam descuidar de si próprios, abandonam o emprego, os filhos, família, tempo para lazer. Desenvolvem insônia, depressão, ansiedade.
Em média, uma pessoa fica 20 anos dependente de alguém. O planejamento de como será nossa velhice precisa começar cedo.

Bem Estar
Geriatra dá dicas para os cuidadores de idosos

A geriatra Maisa Kairalla conversou com o Bem Estar e deu dicas para os cuidadores de idosos:

Planejar com toda a família como será dividida as funções de cuidar
Construir uma planilha de gastos para evitar que isso tenha um impacto mais pesado em alguém da família que já vive uma situação instável
Fazer o revezamento de noites, finais de semana, datas comemorativas, feriados, idas ao médico
O cuidador precisa estar sadio para atender o assistido – a saúde de um impacta na do outro
Não deixar de aceitar convites para lazer, viagens, jantares com amigos. O cuidador precisa “viver” também