26 de abril de 2019

Dono da Dolly vira réu em SP por desmatamento para instalação de distribuidora de água mineral

Com informações do G1 Globo / Reprodução - A Justiça de São Paulo aceitou a denúncia contra Laerte Codonho, dono da fábrica de refrigerantes Dolly, por crime ambiental e corrupção. Segundo o Ministério Público (MP), por meio de pagamento de propina, policiais acobertaram a derrubada de uma floresta preservada em São Lourenço da Serra para instalação de uma distribuidora de água mineral.

As investigações começaram em maio de 2018, logo depois que o empresário foi preso por sonegação fiscal. Na casa e nos escritórios de Codonho, a polícia apreendeu pendrives, notebooks e celulares, cuja análise revelou um esquema de corrupção de agentes públicos para que o desmatamento ocorresse. 
Trata-se de uma gigantesca área de preservação permanente de Mata Atlântica, no município de São Lourenço da Serra, com uma nascente de água mineral. Quase 6 hectares foram desmatados – imagens de satélite mostram a área verde sendo progressivamente cortada, entre 2014 e 2016. A distribuidora não chegou a sair do papel.

O desmatamento foi revelado depois que uma forte chuva atingiu a região e a enxurrada arrastou lama da área degradada para o centro do município.
VEJA MAIS: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2019/04/25/dono-da-dolly-vira-reu-em-sp-por-desmatamento-para-instalacao-de-distribuidora-de-agua-mineral.ghtml