9 de abril de 2019

Israel inicia eleições legislativas que decidirão futuro de Netanyahu

Primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, vota nas eleições legislativas de Israel nesta terça-feira (9) — Foto: Ariel Schalit / AFP
Do G1 Globo - Os israelenses iniciaram nesta terça-feira (9) as 21ª eleições parlamentares do país. Mais de 6,3 milhões de eleitores votam em uma eleição que, na verdade, é vista por muitos como um referendo sobre o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.
As seções eleitorais abriram às 4h GMT (1h) e fecharão às 19h (16h), mas os resultados deverão ser conhecidos apenas na quarta (10).
Netanyahu busca seu quarto mandato consecutivo e quinto no geral, incluindo um período em que esteve no poder nos anos 90. Caso confirme mais uma vitória, ele garante um lugar na história como o primeiro-ministro a passar mais tempo no cargo, superando o fundador de Israel, David Ben-Gurion.
O atual premiê enfrenta forte oposição de seu ex-chefe do Estado-Maior do Exército, Benny Gantz, cujo novo partido Azul e Branco busca substituir o Likud, há muito dominante.
Benny Gantz, um dos líderes da aliança política Azul e Branco (Kahol Lavan), vota nas eleições legislativas de Israel nesta terça-feira (9) — Foto: Jack Guez / AFP
Corrupção x inexperiência
A campanha eleitoral de três meses se concentrou muito mais nas pessoas do que em temas. Netanyahu tentou retratar seu oponente como fraco e inexperiente. Gantz, por sua vez, tentou capitalizar uma série de investigações de corrupção contra o premiê. O procurador-geral de Israel recomendou que Netanyahu seja acusado de suborno e violação de confiança, mas ele nega qualquer irregularidade.

Netanyahu espera alcançar nas eleições de 9 de abril um quinto mandato como primeiro-ministro, o que permitiria bater em meados de julho o recorde de longevidade no poder de David Ben Gurion.

Seus êxitos diplomáticos, sua imagem de garantidor da segurança de um país diante de múltiplas ameaças e o crescimento econômico, deixaram pouco espaço para seus rivais por muitos anos.

No entanto, este ano, as pesquisas preveem uma corrida acirrada contra o general Benny Gantz, ex-chefe de Estado Maior, líder de uma lista de centro-direita, que o censura por seu "vício pelos prazeres do poder".

Além disso, os eleitores sabem que Netanyahu, ganhando ou perdendo, provavelmente será acusado de corrupção.