30 de abril de 2019

Lexa, Kekel, 'Amor Bandido' e uma tentativa de hit com insistência, R&B romântico e falta de dicção

Kekel e Lexa — Foto: Divulgação
Com informações do G1 Globo / Reprodução: Sarandi em Dia
Léa Cristina Araújo da Fonseca, a cantora carioca de 24 anos, lançou nesta semana "Amor Bandido". O hit anterior “Sapequinha”, do ano passado, fazia Lexa acelerar no funk rapidinho, com 150 BPM. Agora, ela vem na cadência do R&B romântico e arrastado, acompanhada do MC Kekel.
Os vocais dos dois encaixam: é legal ver o contraponto da emissão cristalina da Lexa, sempre doce e melódica, com o vocal desleixado do Kekel.
O charme do cantor vem um pouco da falta de dicção e do vocal com estilo que remete ao trap, um subgênero do rap, mais dark, paradão e sem medo de eletronices. A impressão também é de que Kekel está sempre com a boca meio fechada, como se fosse um ventríloquo.

Mas quem é Kekel?

Kekel é Keldson William da Silva, ex-servente de pedreiro, estoquista e porteiro de 23 anos, do bairro de Guaianazes, na Zona Leste de São Paulo.
O estouro veio com "Amor de Verdade", funk melódico com MC Ritaque fez todo mundo ficar se perguntando de quem era aquele vocal meio balbuciado, meio cansado.