2 de abril de 2019

Mulher detida com sinais de embriaguez pode perder a guarda de bebê

O Conselho Tutelar estuda a possibilidade de solicitar ao Ministério Pública a destituição do poder familiar da mãe presa domingo (31), ao ser flagrada com sinais de embriaguez com um bebê de seis meses no colo em um bar da Avenida Morangueira. O conselheiro Carlos Bonfim adiantou ao O Diário que a mãe já perdeu a guarda de um filho na Bahia, onde morava antes de se mudar para Maringá.
Segundo Bonfim, a mulher é usuária disfuncional de álcool e relatos de pessoas da comunidade onde ela vive confirmam que rotineiramente deixava a criança em situação de risco. A mulher foi detida na noite de domingo, depois de tentar agredir uma equipe do Conselho Tutelar.
Populares acionaram o conselho sobre a situação da mãe que estaria embriagada percorrendo bares da Avenida Morangueira. Segundo os conselheiros que atenderam o chamado, populares chegaram a pegar a criança para evitar que caísse no chão.

Quando foi abordada a mulher se negou a prestar informações e visivelmente alterada agrediu um dos conselheiros. Diante da situação, a Guarda Municipal foi acionada para conter a mulher. “O conselheiro agredido chegou a ser atendido no hospital porque teve o braço deslocado”, confirmou o conselheiro Carlos Bonfim.

Ele disse que a mulher reside há pouco tempo em Maringá, e tem familiares na Bahia. A mulher foi encaminhada à delegacia onde permanecia presa até a tarde de ontem (1). Já a criança foi levada para o abrigo municipal. “O bebê estava assado e com fome, o que pode caracterizar maus tratos. O caso já está nas mãos do Ministério Público e da Justiça para as providências”, adiantou Bonfim.