30 de agosto de 2019

Para manter atividades até o fim do ano, UEM pede R$ 24,4 mi mas Governo do Estado libera apenas R$ 5,4 mi

                                foto:MURILO SALDANHA

Com a Desvinculação de Receitas de Estados e Municípios (Drem), o Governo do Estado retém 30% dos rendimentos próprios da universidades estaduais, como valores arrecadados com taxa de vestibular e serviços prestados ao SUS. Para compensar os recursos retidos, o governo anunciou na segunda-feira (26/8) a liberação de R$ 130 milhões pra as sete universidades estaduais.Cada instituição apresentou cronograma de repasses de agosto até dezembro para a Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti). A Universidade Estadual de Maringá (UEM) solicitou R$ 24,4 milhões para manutenção de atividades de ensino e do Hospital Universitário (HU) nos próximos quatro meses. Apenas para o HU, a universidade pediu R$ 8,8 milhões.No entanto, a assessoria de imprensa da Seti informou que serão repassados R$ 5.406.491,61 em parcelas até o final do ano para custeio do hospital e o pagamento de bolsistas residentes. Por enquanto, a UEM confirmou que recebeu R$ 1,3 milhão para pagamento de bolsas de residência do Hospital Universitário e R$ 775 mil para residências multiprofissionais.

Segundo o pró-reitor de planejamento da UEM, João Marcelo Crubellate, a suplementação orçamentária liberada para o HU até o final do ano não é suficiente. “Esse valor cobre no máximo a bolsa dos residentes, mas tem o valor da Drem do hospital que é estimada em R$ 7,5 milhões para este ano. O recurso cobre bolsa residente, mas custeio não”.

FONTE:Maringá Post via