13 de setembro de 2019

Marília Mendonça não sofre mais? Como ela parou de cantar o que compõe para evitar fofocas

                               foto:Divulgação

É raridade encontrar uma entrevista de Marília Mendonça sem reclamações sobre a fama. Quando se tornou a dona das músicas mais ouvidas no Brasil, em 2016, a cantora goiana disse que ser celebridade era como carregar uma cruz.

Mas os fofoqueiros agora foram longe demais. Marília pensa em nunca mais lançar o que compõe. Logo antes do evento de lançamento de sua série documental "Todos os Cantos", que estreia no Globoplay nesta sexta-feira (13), ela diz ao G1 que não aguenta mais.

"Compor menos tem muito a ver com exposição. Eu nunca falei sobre esse medo, mas ele existe muito. Às vezes, eu escrevo alguma história que é muito distante, que eu li em um livro."

Hoje, ela se divide entre páginas sobre gravidez e as de "A individualidade numa época de incertezas", do filósofo polonês Zygmunt Bauman.

"Cara, já pensou se eu lanço uma música que é uma composição minha, e de repente está escrito amante? E a galera fala: 'Olhaaa, Marília está sendo amante de alguém'."É raridade encontrar uma entrevista de Marília Mendonça sem reclamações sobre a fama. Quando se tornou a dona das músicas mais ouvidas no Brasil, em 2016, a cantora goiana disse que ser celebridade era como carregar uma cruz.

Mas os fofoqueiros agora foram longe demais. Marília pensa em nunca mais lançar o que compõe. Logo antes do evento de lançamento de sua série documental "Todos os Cantos", que estreia no Globoplay nesta sexta-feira (13), ela diz ao G1 que não aguenta mais.

"Compor menos tem muito a ver com exposição. Eu nunca falei sobre esse medo, mas ele existe muito. Às vezes, eu escrevo alguma história que é muito distante, que eu li em um livro."

Hoje, ela se divide entre páginas sobre gravidez e as de "A individualidade numa época de incertezas", do filósofo polonês Zygmunt Bauman.

"Cara, já pensou se eu lanço uma música que é uma composição minha, e de repente está escrito amante? E a galera fala: 'Olhaaa, Marília está sendo amante de alguém'.""De quem é a culpa?", a última música que saiu do gravador de seu celular para sua carreira solo, é de janeiro de 2017. E é isso que muito fã quer saber: de quem é a culpa por não compor mais?

"Foi criada toda essa coisa em cima da Marília Mendonça, que as músicas são sobre a vida dela e tudo isso. Eu tenho muito medo", confessa.

"Eu continuo compondo muito, se eu te mostrar meu gravador tem muita coisa, mas eu não tenho a intenção de lançar. Me expor falando é uma coisa, me expor cantando é outra totalmente diferente."Todas as 12 músicas do álbum "Todos os Cantos" são de outros compositores. A autora de "Amante não tem lar", "Traição não tem perdão" e "Infiel", o marco zero do feminejo, não quer mesmo se expor.

Então, será que faz sentido um documentário com os bastidores do projeto que quer levar shows surpresa para todas as capitais brasileiras?

"Eu fiquei super à vontade, né? A gente incluiu as partes punks. Eu queria mostrar o que deu errado também, a parte que eu choro, que me dói, que está difícil."

Marília destaca uma cena em que ela e equipe foram distribuir os 150 panfletos de divulgação do show pelas ruas de São Luís: