© Alex Silva/Estadão                           

  • BRASÍLIA - Com o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso emergencial de duas vacinas contra a covid-19, governadores afirmam que seus Estados estão preparados para começar a imunização na manhã da próxima quarta-feira, 20, como pretende o Ministério da Saúde.
  • Os governadores evitaram alimentar o confronto entre o chefe do Executivo de São Paulo, João Doria (PSDB), e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Eles se manifestaram nas redes sociais logo após a aprovação da Anvisa, por unanimidade, do uso emergencial da Coronavac e da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca.
  • Alguns governadores, como o do ParáHelder Barbalho (MDB), e do CearáCamilo Santana (PT), viajaram ainda no domingo a São Paulo para acompanhar a distribuição dos primeiros lotes aos Estados do País, a partir das 7 horas desta segunda-feira, 18.
  • "As vacinas representam a renovação da esperança de podermos imunizar nossa população e virar a página do sofrimento que essa pandemia trouxe. Não mediremos esforços para garantir que toda a nossa população tenha acesso o mais rápido possível à vacina", disse Barbalho.
  • O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), afirmou que as coordenadorias regionais, seringas e refrigeradores já estão aptos a receber os imunizantes. Nas redes sociais, ele acenou a Doria e Pazuello, que trocaram ataques ao longo do dia.
  • "Cumprimentos ao governador João Doria, que viabilizou parceria internacional do Instituto Butantã. Agradecimento ao Ministério da Saúde, que fez a parceria da Fiocruz com Oxford/AstraZeneca e que alcançará as duas vacinas aos Estados", frisou.
  • Em pronunciamento após o sinal verde da Anvisa, Pazuello afirmou que a divisão das 6 milhões de doses da Coronavac será proporcional entre os entes. Até o fim da tarde, porém, o quantitativo para cada Estado ainda não era conhecido.
  • "A aprovação das vacinas do Butantã e Fiocruz pela Anvisa é o primeiro passo para vencermos definitivamente o vírus. O Espírito Santo está preparado com agulhas, seringas e toda a logística para dar início ao Plano Nacional de Imunização assim que as vacinas chegarem", afirmou o governador capixaba, Renato Casagrande (PSB).
  • Entre governadores do Nordeste, o do MaranhãoFlávio Dino (PCdoB), opositor de Bolsonaro, reforçou críticas que vem fazendo ao governo federal. "O início da vacinação contra o coronavírus é uma grande conquista e uma vitória contra o negacionismo homicida", salientou.
  • O chefe do Palácio do Campo das Princesas, em Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), reiterou que os Estados estão prontos para começar a aplicação das doses à população, conforme autorizado em caráter emergencial. "As vacinas da AstraZeneca/Oxford e da Sinovac/Butantã cumpriram todas as etapas e foram aprovadas para uso emergencial pela Anvisa. Os Estados estão prontos, o governo federal precisa divulgar o cronograma e iniciar a vacinação já", destacou.
  • Como mostrou o Estadãoos planos dos Estados para vacinar as pessoas incluem estratégias que preveem desde transformar escolas, igrejas ou quartéis em salas de vacinação até investir em sistema de drive-thru. Em algumas localidades mais remotas, a logística inclui transportar doses de barco ou avião e até armazená-las em frigorífico de peixe.