1 de agosto de 2019

Governo e Itaipu tiram do papel a segunda ponte de Foz do Iguaçu

                             Foto - Rodrigo Felix leal


O Governo do Estado e a Itaipu Binacional deram o último passo para o início da construção da ponte entre Brasil e Paraguai, em Foz do Iguaçu, a segunda ligando os dois países. Nesta quinta-feira (01), em solenidade no Palácio Iguaçu, o governador Carlos Massa Ratinho Junior e o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Joaquim Silva e Luna, assinaram o convênio que permite começar a obra imediatamente.


A obra da Ponte da Integração e uma via perimetral serão financiadas pela Itaipu, ao custo de R$ 463 milhões. A administração das obras está a cargo do Governo do Paraná. A ponte será construída nas proximidades do Marco das Três Fronteiras, ligando Foz do Iguaçu à cidade paraguaia de Presidente Franco. A previsão é de 36 meses para a conclusão e neste primeiro momento 400 operários serão contratados.

O governador afirmou que o convênio sela o acordo entre o Estado e a Itaipu. “O orçamento já está organizado, consolidando a parceria com Itaipu na área de infraestrutura. Será a maior ponte de vão-livre do Brasil”, afirmou Ratinho Junior.

O diretor-geral brasileiro da Itaipu, Joaquim Silva e Luna, ressaltou o bom relacionamento entre as partes envolvidas no projeto: Governo Federal, Estado e o lado brasileiro da usina. “Podemos mostrar para a sociedade como se usa o orçamento, com investimento em infraestrutura. A ordem de serviço foi dada, o tempo começa a contar a partir de agora”, afirmou.

MAIS MOBILIDADE – Ratinho Junior destacou, ainda, outros pontos importantes da obra. “A ponte encerra uma espera de 30 anos por projeto similar e vai destravar o trânsito da região, além de permitir maior mobilidade para os moradores dos dois países”, disse ele. A Ponte da Amizade, primeira ligação entre Brasil e Paraguai, foi inaugurada em 1965.

Com a obra, todo o transporte de cargas entre os dois países será feito pela nova passagem, tirando da Ponte da Amizade o trânsito pesado e liberando o local para atender somente turistas e passageiros. “Haverá uma mudança considerável na questão logística, na entrada e saída dos países. Vem ao encontro do projeto de logística que planejamos para o Paraná”, disse.

SEGURANÇA – Outro ponto destacado pelo governador Ratinho Junior diz respeito à segurança da Região de Fronteira. De acordo com ele, será criado um escritório de inteligência integrado nos principais pontos de trânsito das fronteiras.

O projeto, inspirado no Fusion Center, centro norte-americano que integra várias forças na área de El Paso, no Texas, que faz fronteira com o México, é uma iniciativa do Ministério da Justiça, pasta comandada pelo ministro Sérgio Moro.