28 de outubro de 2019

Alberto Fernández vence Mauricio Macri e é eleito presidente da Argentina no 1º turno

                                Foto: Agustin Marcarian/Reuters

Alberto Fernández foi eleito novo presidente da Argentina nas eleições deste domingo (27). Com a ex-presidente Cristina Kirchner como vice na chapa, ele derrotou o atual mandatário, Mauricio Macri – resultado previsto ainda nas prévias eleitorais de agosto.

Fernández discursou a apoiador e aceitou o convite de Macri para o diálogo. "A única coisa que me preocupa é que os argentinos deixem de sofrer. Nosso compromisso é com cada um dos argentinos e argentinas", disse.

"Obrigado por construir uma Argentina mais igualitária, que cuide da saúde e da educação pública, que privilegie os que trabalham. Obrigado também aos que não votaram em nós por participarem desta jornada."Com 97,4% das urnas apuradas, Fernández tinha 48,02% dos votos. Macri, 40,46%. O resultado garantia a vitória para o kirchnerista porque, na Argentina, o candidato vence no primeiro turno se obtiver mais do que 45% dos votos.
Eleição presidencial na Argentina
Com 97,5% apurados
% dos votos48,0448,0440,4440,446,176,17Alberto FernándezMauricio MacriRoberto Lavagna0102030405060
Roberto Lavagna
6,17
Fonte: Dirección Nacional Electoral Argentina
O presidente eleito ainda homenageou o ex-presidente Néstor Kirchner, morto em 2010 e que governou o país entre 2003 e 2007.Cristina Kirchner também comemorou a vitória. "Hoje Alberto é presidente de todos os argentinos e tem uma imensa tarefa e responsabilidade pela frente, uma tarefa ciclópica, que exigirá esforços inimagináveis, um país arrasado, muito além do marketing, uma tarefa muito difícil que exigirá a ajuda de todos argentinos, quem votou e quem também não votou ", afirmou.
Em discurso a apoiadores, Macri concedeu a derrota às 22h23 (horário de Brasília) e convidou Fernández para um diálogo durante café da manhã na Casa Rosada nesta segunda-feira.
"Quero parabenizar o presidente eleito, Alberto Fernández", afirmou. "Os argentinos aprenderam muito nesses quatro anos. O que virá também será um aprendizado", acrescentou.
Enquanto Fernández, Kirchner e Macri discursavam, a diretoria do Banco Central argentino se reunia para discutir medidas para conter a subida do dólar frente à moeda local. Em seguida, anunciou que pessoas físicas terão, a partir desta segunda-feira (29), um limite de US$ 200 de compra de moeda americana por mês.
Alberto Fernández, presidente eleito